segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Charuto bom e barato: Siboney


Quem acompanhava o antigo blogue sabe que sou fumante: cigarro, cigarrilha, charuto e cachimbo. Infelizmente, o tabagismo sofre no Brasil. Não falo tanto pelas regras restritivas para consumir tabaco em ambientes comuns; mas, sim, pela elevada carga tributária aplicada sob o falso pretexto de investir em ações de saúde. Na prática, isso apenas reduz o consumo de produtos nacionais, gera desemprego, queda na arrecadação, falência de famílias que cultivam tabaco e aumento do descaminho. Qualquer imbecil vê em bares e bancas de rua a venda de tabaco ilegal. Eu mesmo apenas não compro esses produtos porque são de baixa qualidade e dados indicativos de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono duvidosos. Isso quando não possuem merda. Perto da cidade onde vivo, por exemplo, descobriram fábrica de contrafação onde misturavam esterco de gado ao fumo.

Quem perde com o quadro acima? Todos nós. O Governo vítima da curva de Laffer, os empregados e lavradores do setor, desempregados e, mais ainda, o mais pobre, coagido a fumar cocô. Os mais ricos ainda compram cigarros com blend de qualidade superior ou tabaco importado, em termos de charutos e fumos para cachimbo. Minha saída, entre os pobres e os ricos, foi buscar adquirir tabaco mediano com o melhor custo benefício. Ando largando o cigarro convencional. Noutro momento, falarei de fumo para cachimbo. Aqui, apenas indico os charutos Siboney para quem quer fumar algo bom mas tem escola de filho para pagar. Para falar sobre esse tabaco, utilizarei palavras do briefing que talvez seja repassado pela empresa fabricante. Aqui, retirei tudo do site Catálogo CDC, ótimo lugar onde comprar:
A empresa Nativo del Caribe é uma sociedade limitada, representada por dirigentes cubanos que possuem conhecimentos de origem na produção de charutos. O charuto Siboney é uma marca da empresa produzida no Brasil. Cuidadosamente enrolados com folhas inteiras 100% a mão por experientes tabaqueiras de origem cubana que possuem uma grande experiência em sua confecção. O Siboney é produzido com uma mistura que proporciona um aroma (blend) forte e sabor agradável, construção encorpada e queima equilibrada. Utiliza capa clara connecticut, e capa escura Criollo mexicano, as folhas do miolo do charuto são selecionadas e importadas das melhores fazendas do Caribe e tratadas 100% natural desde seu plantio até a secagem e fermentação, conservando suas características naturais. A marca Siboney procura manter a tradição dos índios cubanos, do verdadeiro e puro tabaco. A seleção da mistura é um resultado de uma minuciosa pesquisa de mercado, respeitando o critério de apreciadores de charutos brasileiros. O nome Siboney vem de umas das primeiras tribos de indígenas que já se encontravam a aproximadamente há 6.000 anos juntamente com as tribos Guanaja Tabelles e Tainos. Quando Cristovão Colombo aportou no continente americano encontrou os índios desta tribo enrolando e degustando os charutos, pois estes já faziam parte de sua cultura e mitologia,sendo constante o uso em seus rituais de magia e festividade,há mais de 2 mil anos, tendo absorvido este costume dos Maias da América Central.
Esses dias comprei o maço com 25 unidade do 25 Minutos Medium Filler (folhas "rasgadas", ao invés de picadas, por assim dizer). E valeu muito a pena. Por R$ 160,00 você pode aproveitar aquele final de noite com dignidade, entre boas baforadas, deitado na rede. Na foto abaixo, percebam que retirei a anilha logo de início porque ela teima em encostar na boca e isso desagrada. Para mim, foi o único "defeito". Não posso me dar ao luxo de comprar Dannemann de mil paus a caixa, ou um Dona Flor por quase cinquenta pilas a unidade. Dos cubanos, dominicanos e hondurenhos, também estou passando longe. Caríssimo para um cidadão normal. Mas também não pretendo descer ao nível dos charutos para catimbó, aquele velho mata-rato ardido como o capeta que oferecem a exus em terreiros de umbanda e candomblé. Por enquanto, pois, ficarei em charutos da estirpe do Siboney e alguns sem nome a preço razoável. E recomendo a todos. Como cidadão depenado por tributos excessivos, gostaria mesmo é encontrar um canal para adquirir tudo sem taxação. Enquanto isso não ocorre, procuro o melhor custo benefício do mercado e deixo de fazer das tripas coração para adquirir cigarros a preços extorsivos.

Posteriormente, satisfeito com essa linha mais barata da Siboney, adquiri mais dois maços, agora do Robusto e do Corona Gorda Long Filler. Achei os preços novamente justos e garanto que proporcionam boas baforadas. Ao final de um dos Coronas, aproveitei para destrinchar o toco e o resultado são as folhas inteiras da imagem abaixo. Certamente, algo bem mais seguro do que comprar as contrafações circulantes por aí, vendidas como Long Filler sendo apenas "medium", isso quando não trazem sálvia e outras porcarias.

Como podem ver nas imagens, fumo o charuto até o limite do conforto. Enquanto a fumaça não vier quente à boca nem queimar meus dedos, está valendo. E, claro, enquanto o sabor agradar. Há quem enfiei o toquinho num palito e continue baforando. Aí me parece exagero. Contudo, vai de cada um. Não é errado, muito menos feio. E você comprou com seu suado dinheirinho. Então, aproveite ao máximo, acaso esteja lhe dando prazer. Outra dica que dou - e tem a ver com meu hábito - é fumar em local arejado. Depois do nascimento de minha menina, não consegui mais fumar dentro de casa e acredito que não conseguiria mais retornar a este abandonado costume. Penso que o consumo de tabaco deve-se realizar, mesmo, em local ventilado. No caso, tenho a salinha da imagem a seguir, feita no fundo de uma garagem e totalmente aberta. Poucos momentos dão tanto prazer quanto deitar na rede vendo algo na TV, num local ventilado, com aquele céu noturno à vista, enquanto você se dá um bom tabaco, especialmente cachimbo e charuto. Para a tal da harmonização como tanto falam, há anos nada me desce tão bem quanto água com gás, água de coco ou um cafezinho, coado ou espresso. Essas, claro, são minhas escolhas pessoais. Bebo cerveja, cachaça e uísque todas as semanas. Contudo, nunca enquanto fumo. Evito bastante esta prática. Por quê? Não sei. Apenas não me agrada tanto.

Fico por aqui. Abraços, boas baforadas e até a próxima.










4 comentários:

  1. Não sou fumante, mas gosto de um charuto, principalmente quando estou bebendo com amigos. Mas, confesso, sou um fanfarrão quando se fala em charutos, tanto que meu preferido é aquele Titan Phillies com aroma de chocolate que não chega a R$50 a caixa com 5 unidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preço justo. Gosto de cigarrilhas sabor chocolate. As Talvis saem a 60 pilas a caixa com 50.
      Abç!!!

      Excluir
  2. kkkk ficou muito bad boy na foto

    "Isso quando não possuem merd": o Brasil é fogo, pessoal vendendo bosta a peso de ouro.

    gostei do porta charutos

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O porta charutos é um umidor barato e bem funcional. A vedação é excelente. Ao fechar a tampa vc percebe o bolsão de ar se formando e oferecendo resistência.
      Bad boy só na aparência... Sou um cordeiro. :-(
      Abraços!

      Excluir

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.