sábado, 30 de março de 2019

Twin Peaks e a Magia Rúnica



Não entendo nada de magia rúnica. Nem tenho a intenção de me tornar iniciado em algo tão distante de minha natureza espiritual e de meu vocabulário. E assim, para mim, são as runas. Não faço pouco caso de quem se dedica a isso, é que apenas tenho pouco tempo (apenas uma vida) para me dar a tudo que gosto. E este tempo é deveras limitado. Mas gosto bastante de todas as mitologias por trás da mitologia de Twin Peaks, ainda mais após a leitura do excelente A História Secreta de Twin Peaks de Mark Frost, co-criador da série junto a David Lynch e seu principal roteirista. Comentei acerca do livro neste link e, ali, tentei indicar como 0 mesmo é essencial a quem pretende compreender o emaranhado de referências mágicas inspiradoras do show. Nada em Twin Peaks foi ao acaso.

Esses dias, lendo o pequeno Uthark - O Lado Noturno das Runas do controverso Thomas Karlsson, me deparei com a runa Odal e seus significados, significantes e significações. Conquanto Mark Frost, até onde sei, não comente este aspecto de sua realização, vi que esta runa possui íntima relação com o núcleo da simbologia da Coruja: anel, caverna e aparições. Esta runa pode se apresentar de maneiras variadas, alterando-se apenas a posição das "asas". Vejamos abaixo.




No livro de Thomas Karlsson, assim sintetizam essa letra, sua natureza e acepções:




Lendo a definição acima, como não recordar da densa floresta de Twin Peaks, seus gigantesco pinheiros (abetos-de-Douglas)? Ou a Dama do Tronco (Log Lady) comunicando-se com seu falecido marido desde que seu espírito ficou conectado aquele pedaço de madeira? Todo o mal emanado do Black Lodge encontra na noite da floresta maior força para perpetrar dor às descendências dos antigos habitantes do local. Aliás, a própria passagem para este espaço negro se faz mediante uma fenda no que nos parece um muro invisível, adornado pelas cortinas vermelhas. O culto às árvores e ao poder ancestral, à energia ancestral, é elemento não apenas implícito, mas explícito em Twin Peaks.

Amiúdes... Gostei de ter contato com este livreto sobre runas. Ao me deparar com a Odal, houve tal lapso com esta que é uma das maiores séries de TV realizadas e constatei, após breve pesquisa, que muitos também fizeram tal associação. Aliás, descobri que, em vários sites, o anel da coruja é vendido como adorno denominado viking. Além de alfabeto mágico, runas são unidades da linguagem nórdica antiga. Twin Peaks, enfim, não é apenas uma baita história acerca do sobrenatural e do confronto entre a maldade e a benevolência, cheia de belas mulheres como não se fabricam mais (imagens abaixo). De tempos em tempos, ao acaso, tropeçamos em novas referências e curiosidades. A cada dia, Mark Frost e David Lynch ganham mais nosso respeito, se é que eles precisam disso.

Fico por aqui. Abraços mágicos e até a próxima.









2 comentários:

  1. ótimo post
    no seu "Postagens por assunto" tinha que ter uma categoria de seriados

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente. Nunca encontrei forma perfeita de organizar postagens a não ser que criasse vários marcadores. Feliz que tenha gostado da postagem. Abraços!!!

      Excluir

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.