domingo, 23 de dezembro de 2018

Dylan Dog e Magia do Caos / Canal de DyD no Youtube [ Vídeo Gibi ]


Como recentemente postei algumas coisas acerca de Dylan Dog bem como acerca de elementos da Magia do Caos na obra de Alan Moore, acho oportuno, agora, revelar um pouco da influência deste sistema mágico na criação de Tiziano Sclavi. Sim, DyD foi concebido e desenvolvido com base em elementos ocultos. Conquanto, atualmente, a maioria das histórias girem em torno de engajamentos fofos da turma da justiça social e do "ódio do bem" (feminismo, multiculturalismo etc.), a fase inicial do personagem não perdia tempo com essas porcarias. O criador do investigador londrino transitava, mesmo nas entrelinhas (ou entrequadros), por sistemas herméticos, alquímicos e caoístas.

É fácil perceber ideias de magia do caos em diversas tramas do título bonelliano. Como exemplo cito a ótima história O Fantasma de Anna Never. Já no final da trama, Dylan reflete sobre os acontecimentos insólitos recentes da seguinte forma: "(...) e isto só pode significar uma coisa: que nem tudo é fatalidade, que há sempre uma saída, mesmo no labirinto mais escuro, e nós podemos encontrá-la... Significa que nada está escrito". Esta manipulação do caos para revertê-lo em seu favor é puramente magia, especificamente do caos. Isto se torna explícito em Mater Dolorosa, quando um Dylan ainda criança, há quase três séculos, mantém o seguinte diálogo com outra Mater, a Morbi: "Mas nós sabemos o que reina mesmo no universo, não é, pequeno Dylan? Vai, diga! Não responde? Mana Cerace comeu sua língua?"; "O caos... É o caos que reina!"; "Parabéns! Isso mesmo! Nada é previsível. Tudo pode mudar.".

Essencialmente e a grosso modo, magia do caos é isso: a manipulação do caos a seu favor ou em desfavor de outrem, mediante a manipulação da matéria probabilística a que convencionamos chamar de éter. E em diversos momentos de DyD nos deparamos com elementos deste conceito, como, por exemplo, os citados acima.

Fico na torcida para que o personagem, em suas mais recentes publicações, encontre-se novamente no universo mágico. Não é à toa que suas tramas sempre transitaram entre o surreal, o onírico, pois o transe mágico é não apenas trabalho de aperfeiçoamento do magista, mas, igualmente, ferramenta de ataque e de defesa (combate mágico). Com a linha atual de historinhas notadamente "engajadas" com agendas de organizações internacionais para "lacrar" e "sambar na cada da sociedade cis-branca-patriarcal", talvez em breve tenhamos o enterro definitivo deste grande personagem. DyD é o investigador dos grandes horrores que habitam nossa existência desde a Aurora do Homem; e dos pequenos horrores que estão no coração do homem, dos pequenos terrores domésticos e comunitários. Não é possível que um título que já nos deu edições monumentais como Morgana, Os MatadoresDepois da Meia-noite (dentre tantas outras), tenha descido ao ponto de gibis tão pobres quanto, por exemplo, O Terrorista.

A denúncia de problemas sociais (violência doméstica, racismo etc.) sempre foi realizada de maneira discreta e razoável nos gibis do investigatore dell'incubo, e nunca como pauta principal, nuclear, arremessando na sarjeta todo o restante que deveria compor uma trama realmente digna no oculto, do onírico e surreal.


Aproveito esta postagem, igualmente, para recomendar o canal DELMAK-O STUDIOS no Youtube. Para mim foi uma experiência estranha (de início) assistir a um gibi. Mas em pouco tempo consegui retirar vantagens desse método. Vejo no tablet, controlando a velocidade de exibição em 1/4 para melhor apreciar a arte de cada requadro. Alguns dispositivos não permitem que o aplicativo no Youtube regule essa velocidade. Mas aí basta o usuário assistir no modo desktop, pelo navegador. 

Alguém que, sozinho ou com ajuda de amigos, se disponibiliza a editar, traduzir e postar um material deste, a troco de nada a não ser o prazer de divulgação, merece mais que nossos parabéns. No canto inferior deste blogue inseri banner do canal não apenas pela parceria que celebramos; mas, sobretudo, por reconhecer o esforço pessoal do Delmak-O. Deem uma conferida, quando puderem. É uma boa experiência de leitura. O mundo muda. Eu mesmo há alguns anos não gostava de ler scans nem livros digitais. Hoje, acho tudo bem vindo, sobretudo pela praticidade.

Fico por aqui. No blogue anterior eu costumava elaborar postagens sobre o natal, neste período. Desta vez, não. Então nesta oportunidade desejo feliz Natal e próspero Ano Novo a todos os que por aqui ainda dão o ar da graça e aos infelizes que porventura caíram de pára-quedas. Abraços a todos e até 2019 (sim, chegamos!).

2 comentários:

  1. Gostei demais do que li, gostei de saber que temos pessoas que vão a fundo nas histórias desse controverso...? personagem... muito bom!

    ResponderExcluir
  2. arquivos antigos estão lotados com as melhores fases de personagens.
    o politicamente correto tomou conta do presente.
    gostei do canal
    "até 2019 (sim, chegamos!)." - 2019 parece uma data futurística sci-fi, mas é o presente. caramba, o futuro parecia mais impressionante no passado.

    Que o seu Natal seja brilhante de alegria e iluminado de amor.

    abs

    ResponderExcluir

O comentário aqui é anônimo e não moderado. Contudo, pense bem se vale a pena perder seu tempo postando alguma ofensa gratuita.